E-mail:  Senha:
Locação de salas
para cursos
Saiba mais e agende

Depoimentos

“Sou advogada há 11 anos e, nos últimos dois anos, venho fazendo concurso público. Considero a banca CESPE, de todas as bancas de concurso, a mais rigorosa quanto à Língua Portuguesa. É frequente ser descontado quase um ponto das minhas provas escritas. Mas a CESPE nem sempre é infalível. Na última prova escrita que realizei pela CESPE, contratei a professora Suzana Luz para analisar minha prova e verificar a possibilidade de recurso administrativo quantos aos possíveis erros de português. E assim foi feito. Dos 21 erros de português recorridos 10 foram deferidos pela banca. A consequência deste resultado foi ultrapassar 44 candidatos na lista de classificação da prova escrita rumo à prova oral. Sem dúvida fiquei muito feliz com o resultado. E daqui pra frente todas as minhas provas passarão pelo crivo da professora Suzana Luz, pois realmente vale à pena ter sua prova analisada por um profissional renomado e capacitado no assunto, com condições de reverter o resultado preliminar e, por consequência, ter sua nota aumentada, diante das fortes argumentações utilizadas pela professora para fundamentar o seu recurso. Fica aqui meu depoimento e desejo muito sucesso Professora Suzana. Abraços. Fernanda.”
Feranda Miotto Ferreira
Ver mais
Deixe o seu depoimento sobre os cursos

Convite para Alunos de Cáceres e Araputanga

Dicas

Texto NARRATIVO

Neste tipo de texto se conta um fato.

Vamos ler:

D. Alzira bateu palmas.
- Venham comer ligeiro, senão a bóia esfria!
Sentaram-se todos em torno na mesa. No centro dela fumegava a travessa de arroz com guisado de charque.
Começaram a comer em silêncio. Quem falou primeiro foi Ernesto:
- No colégio hoje deram uma vaia no Eugênio porque ele estava de calça furada atrás.
Encolheu-se todo, reprimindo o riso, e seus olhinhos brilharam de malícia. Eugênio ficou com o rosto em fogo.
D. Alzira sacudiu a cabeça, vagarosamente, e olhou para o filho mais velho.
- Eu não te disse que não botasse aquela calça de riscado? Por que não botou a preta?
Eugênio baixou os olhos para o prato e ficou calado.
Ângelo serviu-se de mais arroz e disse com ar reflexivo:
- Parece mentira... Filho de alfaiate e com as calças rasgadas.
Quando o silêncio se fez de novo, eles ouviram o minuano uivando lá fora.

(Érico Veríssimo)

Note que a narração contém:

a) Espaço: A cozinha.
b) Tempo: É o passado: bateu, sacudiu, baixou.
c) Personagens: D. Alzira, Eugênio, Ângelo.
d) Enredo: É o momento em que a família se reúne para o almoço.
e) Discurso: Toda vez que as personagens ganham voz.

A narração deve ter por trás de si um objetivo. Narrar puramente, sem que haja uma reflexão, um argumento cercando sua construção, não é um bom negócio.

Conteúdo relacionado

Comentário à redação do ENEM 2015 Comentários à Redação do Enem 2014
Vírgula antes da conjunção E SÓ SE APRENDE A ESCREVER, ESCREVENDO
COMENTÁRIO REDAÇAO ENEM 2013 Saiba quais são as habilidades que o Enem exige do candidato
EÍSMO - A nova onda redutora O que é dissertação
A Argumentação A estrutura dissertativa
Sabores ou amargores 10 formas de começar um texto dissertativo (1)